Blog

Você esta em:capa, Blog
29/08/2017 09h00

DISCENTE DA UEMG PASSOS APROXIMA A UNIVERSIDADE NA RESSOCIALIZAÇÃO DE RECUPERANDOS

Estudante da UEMG Unidade Passos, do 8º período do Curso de Pedagogia, Clélia Batista Silva, ao observar com olhar pedagógico o sistema prisional brasileiro, em especial na Associação de Proteção Assistência aos Condenados (APAC - Passos) notou a carência de inatividade física e intelectual dos recuperandos. A partir dessa observação inicial, como acadêmica concluinte do Curso de Pedagogia da UEMG Passos, elaborou um projeto de pesquisa (trabalho de conclusão de curso) que alia a teoria acadêmica com as práticas de ensino, sendo este um projeto voltado para a alfabetização ou continuidade do aprendizado dos apenados da APAC-Passos. Inicialmente, este projeto foi elaborado e supervisionado tecnicamente quanto a sua correção e aplicabilidade prática pelo professor orientador do Curso de Pedagogia da UEMG Unidade de Passos, Edgar Rodrigues de Oliveira, juntamente com a estudante. Depois submeteram o mesmo à direção da APAC para que recebessem autorização de colocar em prática no âmbito do presídio, inclusive utilizando as instalações onde os apenados têm suas relações de convívio social em grupo. Depois destas etapas, pensou-se na forma de colocar em prática o projeto, adaptando-o às instalações físicas do APAC e ao nível intelectual dos apenados que se dispuseram a esta prática. Os contatos iniciais foram de conhecimento pessoal de cada um dos apenados do grupo. Posteriormente, levantou-se o nível médio de aprendizado e a parir daí, foi possível traçar estratégias para a aplicabilidade do que foi pensado de forma acadêmica e que se adaptasse ao grupo participante. Primeiro, trabalhou-se as dificuldades que cada um dos apenados tinham em relação à leitura onde foi observado a forma de ler e interpretar textos e a escrita, onde observou-se as questões de concordância verbal, pontuação e ortografia. A partir dessas primeiras observações, como forma de incrementar a participação do grupo e interagir mais ativamente com o projeto de ensino aprendizagem apresentado, surgiu a ideia de um Campeonato de Redação entre os apenados. Este Campeonato de Redação configurou-se como uma forma de incentivar a participação e, de quebra, incentivar a prática da leitura. A forma de apresentação dos trabalhos escritos pelos apenados foi à resenha. Segundo a estudante Clélia Batista Silva, “esta ideia mostrou-se produtiva, uma vez que permitiu ao apenado externar suas idéias, seus desejos e o que ele pensa da sua situação atual, em uma reflexão que levou todos eles a pensarem sua condição de ser humano em uma situação especial de sua vida”. Outra faceta que determinou o sucesso do projeto foi a possibilidade de redução de pena através de uma oportunidade de aprimoramento intelectual. O Campeonato de Redação permitiu a esta acadêmica a oportunidade de facilitar a socialização e a ressocialização do apenado, criando nele aspectos de socialização e de sociabilidades até então inexistentes no presídio e na vida pessoal de cada um, mesmo antes de se encontrar na situação de prisioneiro. “A expectativa, mediante o sucesso desse primeiro campeonato de redação, é que ele repita mensalmente e que atinja um número sempre crescente de apenados que realmente queiram voltar ao convívio social com pensamentos positivos e mais intelectualizados”, afirma a estudante. Outra ideia que a aluna teve durante o desenvolvimento do Campeonato de Redação foi à proposta de produzir uma peça teatral para ressocialização dos apenados. Mediante a concordância geral, convidou o estudante do Curso de Pedagogia, que é diretor de teatro, Guilherme, para apoiar está iniciativa que transforma a realidade deste grupo social. Como trabalho acadêmico, será desenvolvido um artigo para o Trabalho de Conclusão de Curso, com o título “Educação no sistema prisional: um estudo sobre a educação na APAC-Passos – MG”, sob a orientação do professor Mestre Edgar Rodrigues de Oliveira a ser defendido em banca avaliadora no final do ano letivo de 2017.